É hora de dar sua opinião sobre a Mobilidade Urbana de Cachoeira do Sul

Como você se desloca em nossa cidade? Como você avalia as calçadas? Como avalia a pavimentação? Estas são algumas das perguntas que integram o questionário que nortearão a construção do Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob) de Cachoeira do Sul. O questionário e a necessidade da criação do plano foi apresentada na manhã desta quarta-feira (12) em um encontro na sede do Siprom para mais de 80 pessoas ligadas aos mais diversos segmentos da sociedade, que foram convidados a serem disseminadores do questionário e do seu link para preenchimento online para que o maior número possível de pessoas seja alcançada.

A equipe da Secretaria de Planejamento que está atuando há três meses na elaboração do Plano de Mobilidade Urbana de Cachoeira do Sul com apoio dos cursos de Engenharia de Transportes e Logísticas e Arquitetura e Urbanismo da UFSM/Cachoeira. A meta é complementá-lo até abril de 2019. Então atuando na execução do documento e as arquitetas Cristine Coelho e Márcia Heck, com auxílio da professora Brenda Pereira e professor Alejandro Ruiz Padillo, da UFSM e o acompanhamento do Ministério das Cidades, que já vem dialogando com as profissionais.

PlanMob – É o documento que dará as diretrizes a longo prazo para as questões ligadas a mobilidade em Cachoeira. “É como se hoje pudéssemos fechar nossos olhos e pensar na cidade que gostaríamos de ter no futuro. Cada um quer a sua Cachoeira e o Plano de Mobilidade é a forma de encontrarmos para um denominador comum”, explicou a professora Brenda Pereira, doutora em Engenharia de Produção com ênfase em sistema de transporte.

Cidades cresceram de forma desordenada

A professora da UFSM, Brenda Pereira, doutora em Engenharia de Produção com ênfase em sistema de transporte,apresentou durante o encontro desta quarta-feira alguns dados que demonstram a importância do planejamento das cidades. Segundo ela, a maior urbanização se deu nos últimos 50 anos e hoje 85% das pessoas vivem em cidades, favorecendo também o uso dos carros sem moderação.

A migração também para o transporte por motocicleta foi outro fator levantado por Brenda. Dados apresentados durante encontro mostram que das cerca de 40 mil mortes no trânsito por ano no Brasil, cerca de 15 mil são de motociclistas. Além disso entre os acidentes de trânsito que causam invalidez, 80% são de motociclistas. “A sociedade precisar olhar para este problema. Daqui a pouco isso pode estar acontecendo nos nossos filhos, nossos amigos”, alertou ela.

Em Cachoeira do Sul, dados pesquisados pela UFSM apresentam que 60% dos acidentes de trânsito envolvem motos. “No Plano de Mobilidade Urbana precisamos avaliar nossas prioridades, sempre valorizando mais o transporte não motorizado sobre o motorizado e o coletivo sobre o individual”, frisou Brenda. A professora destacou ainda que o Plano de Mobilidade Urbana não será um plano viário, mas sim como as pessoas terão suas necessidades de deslocamento atendidas, o que priorizar para atender a estes anseios da comunidade e como chegar a estes objetivos.

Para acessar a pesquisa acesse o link
Ou acesse o blog
Ou acesse o site
www.cachoeiradosul.rs.gov.br , em seguida na aba Links Úteis e Plano de Mobilidade Urbana







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quanta-feira para falar de Mobilidade Urbana