Plano de Mobilidade Urbana está ganhando forma




A equipe da Secretaria de Planejamento que está atuando na elaboração do Plano de Mobilidade Urbana de Cachoeira do Sul com apoio dos cursos de Engenharia de Transportes e Logísticas e Arquitetura e Urbanismo da UFSM/Cachoeira, apresentaram ao Prefeito em Exercício, Cleber Cardoso, o andamento do projeto. O trabalho já vem sendo desenvolvido há dois meses e a meta é complementá-lo até abril de 2019. Então atuando na execução do documento e as arquitetas Cristine Coelho e Márcia Heck, com auxílio da professora Brenda Pereira e professor Alejandro Ruiz Padillo da Universidade e o acompanhamento do Ministério das Cidades, que já vem dialogando com as profissionais.
Apesar de o trabalho ser da Secretaria de Planejamento, a arquiteta Márcia, que atua na Secretaria de Obras, a pedido da Central de Projetos, foi cedida uma vez na semana a trabalhar com a arquiteta Cristine para a elaboração do estudo do Plano.
A elaboração do Plano é uma necessidade, pois a mobilidade urbana é um atributo das cidades e se refere à facilidade de deslocamentos de pessoas e bens no espaço urbano. Muitos municípios contratam empresas para elaboração do plano. No entanto, a Prefeitura de Cachoeira do Sul optou por fazê-lo com sua própria equipe com a colaboração da UFSM e o acompanhamento do Ministério das Cidades.
De acordo com a professora Brenda, a Política Nacional de Mobilidade Urbana, instituída em 2012, deu prazo para que os municípios tivessem o seu Plano de Mobilidade até 2015, prazo que foi prorrogado para 2019. “Vimos que muitas cidades crescem de forma orgânica. E isso é errado. É preciso traçar um rumo para este crescimento”, explica ela. Um dos exemplos citados por ela é a chegada da UFSM ao Passo da Areia, alertando que é preciso avaliar vários pontos para que o desenvolvimento da região não se transforme em algo desordenado.Estamos em um momento interessante de desenvolvimento daquela área. Temos cerca de mil pessoas entre alunos, professores e funcionários que frequentam a universidade. Hoje, muitos deles se deslocam a pé. No entanto, lá será diferente. Como irão? Muitos são jovens universitários que não tem carro. Eles irão de transporte coletivo, de moto, de bicicleta? Como tornar este trânsito seguro? São questões que precisam ser levadas em conta neste Plano de Mobilidade”, enumerou ela.
Cristine e Márcia ressaltaram que ter um Plano de Mobilidade é uma das exigências para que o Município se cadastre para receber recursos federais a partir de abril de 2019. As profissionais ressaltam ainda que o Plano é uma construção coletiva e será necessário em breve ouvir os representantes do Executivo, Legislativo, Judiciário e população para que apresentem a suas sugestões. “O Plano trará uma visão geral sobre a mobilidade urbana mas também de forma setorial: transporte coletivo, ciclistas, pedestres, entre outros”, sintetiza Cristine. O cronograma para as reuniões está montado e iniciam já na próxima semana.
O professor Alejandro acrescentou que Cachoeira do Sul tem o tamanho certo para um bom planejamento urbano. “Ainda dá tempo de fazer um bom trabalho. Ainda não temos um crescimento descontrolado. O que está sendo feito agora é um legado que esta gestão está deixando para as seguintes”, observou o coordenador do Laboratório de Mobilidade e Logística da UFSM/Cachoeira.
Cleber enfatizou a importância do Plano de Mobilidade Urbana como forma de nortear o crescimento da cidade. “Por muitos anos se pensou em crescimento apenas para zona norte da cidade. Hoje temos crescimento para todos os lados e precisamos de um documento que nos direcione para as melhores decisões. Isso não é um projeto para para esta gestão. É um projeto a longo prazo para beneficiar a comunidade hoje, mas principalmente no futuro”, frisa Cleber.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É hora de dar sua opinião sobre a Mobilidade Urbana de Cachoeira do Sul

Quanta-feira para falar de Mobilidade Urbana